“Foram dias inesquecíveis e marcantes”

As duas actrizes, que já se conhecem há vários anos, fizeram juntas, como embaixadoras do projecto Amazonia Live, uma viagem à Amazónia a convite do Rock in Rio.

São amigas há mais de dez anos. Cláudia Vieira, de 38 anos, e Rita Pereira, de 34, contracenaram em 2004 na série juvenil Morangos com Açúcar, estavam ambas em início de carreira. Hoje, são duas das actrizes com maior projeção nacional, Cláudia na SIC, Rita na TVI, e viajarem juntas não é uma estreia. Já estiveram em Malta, em Ibiza, e agora a floresta amazónica foi o destino, no papel de embaixadoras do Amazonia Live, um projecto de responsabilidade social do Rock in Rio que tem como objetivo mobilizar a população mundial para o combate urgente às alterações climáticas. Cláudia e Rita visitaram o local que irá ser reflorestado, a rede de sementes, e conheceram os responsáveis pela plantação no terreno. Descobriram ainda a região do Xingu, uma reserva natural que sofre directamente o impacto desta desflorestação e onde o Rock in Rio pretende plantar cerca de três milhões de árvores. Segue-se a entrevista, que teve de ser feita à distância por escrito.

Serem a cara de Portugal neste projeto grandioso é um orgulho?

Cláudia Vieira — Sem dúvida, tenho uma ligação de muitos anos com o Rock in Rio e ser convidada para ser cara deste Projecto Social Global, em Portugal, fez todo o sentido para mim. É importantíssimo que o público tenha noção da dimensão da actuação da marca Rock in Rio, que vai muito além dos grandes concertos. Isso vê-se também no que a marca devolve à comunidade, como este projecto de reflorestação.

Rita Pereira — Sem dúvida. Quando o Rock in Rio me fez chegar o convite, aceitei de olhos fechados. Pude ver de perto o “desmatamento” (como se diz no Brasil) da Amazónia e entendê-lo melhor enquanto problema real. Aliás, de perto e de cima, porque sobrevoámos a Amazónia de avioneta, o nosso meio de transporte de tantas viagens, e isso deu-nos uma visão global do território que urge reflorestar.

Que balanço fazem destes dias?

Cláudia — Foi maravilhoso, o Brasil não pára de surpreender, é um país de grandes contrastes, com gente maravilhosa e que deve ser visitado e preservado.

Rita — Foram dias inesquecíveis e marcantes. Esta não foi uma viagem de diversão, embora a tenha, obviamente, incluído. Foi uma viagem repleta de aprendizagem e uma inspiração para a vida.

Fazerem esta viagem as duas é também uma forma de se conhecerem melhor?

Cláudia — Conhecemo-nos há mais de dez anos, conhecemo-nos bem. Acho que esta viagem foi mais uma forma de matar saudades.

Rita — Já nos conhecemos há muitos anos, como todos sabem.

São duas caras conhecidas e com projeção a nível nacional. Há algum tipo de rivalidade?

Cláudia — De forma alguma. Não vejo ninguém como rival. Temos carreiras distintas e cada uma tem o seu espaço no mercado.

Que lição retiram desta viagem?

Rita — Percebi a gravidade do estado em que se encontra o nosso “pulmão do mundo” e que temos mesmo de agir rapidamente mudando mentalidades e ensinando, principalmente, as novas gerações a preservar a natureza. Às vezes bastam pequenos gestos no nosso quotidiano. Estivemos na sede do Instituto Sócio-Ambiental (ISA) numa pequena cidade do Brasil a debater o problema e a perceber o processo de reflorestação e dei por mim a pensar quão incrível seria se todas as pessoas no mundo pudessem plantar uma daquelas inúmeras sementes com várias formas e feitios.

Cláudia — A principal lição é que é urgente agir, passar a palavra, alertar o mundo para o que está a acontecer no seu principal pulmão e que tem consequências avassaladoras para o mundo inteiro. Foi feita muita coisa má naquela região no que diz respeito à desflorestação, mas também é interessante perceber que muitos dos que desflorestaram no passado, por motivos económicos e políticos, são os que estão a trabalhar com mais entrega na correcção destes erros.

Rita Pereira a caminho da RFM

Rita Pereira vai começar um novo projecto. A partir do próximo dia 10 de Outubro, e de segunda a sexta-feira a partir das 5 da tarde, a actriz vai estar na rádio RFM.

O objectivo do novo projecto, que conta com o apoio de Compal Veggie, é “mostrar o seu lado mais veggie, o seu lado mais emocional, mais inspirador e divertido”, segundo informa a RFM. Para isso, Rita Pereira vai partilhar com os ouvintes da estação histórias divertidas e alguns dos segredos a que recorre para melhorar o dia-a-dia, tal como acontece no seu canal no YouTube.

“É com um enorme prazer que recebemos a Rita Pereira na equipa da RFM. Vamos ter tardes divertidas, emocionantes e surpreendentes com a Rita Pereira e a Carolina Camargo”, adiantou António Mendes, diretor da RFM.

“Trabalho muito os glúteos”

Conhecida não só pelo seu trabalho na representação como pelos seus atributos, a actriz explica com consegue ter um rabo perfeito

Não é só graças à boa genética que Rita Pereira, de 34 anos, consegue exibir uma forma física de fazer inveja ao comum dos mortais. A actriz da TVI “sua as estopinhas” no ginásio e ao ar livre para ter uma silhueta escultural. “Sou mulher, por isso trabalho muito os glúteos, as pernas e os abdominais”, conta, revelando qual é o seu segredo para ter o rabo definido e tonificado. “Faço exercícios funcionais, desde burpees, agachamentos, lungesjumpjacks.

Nesta fase da sua vida, em que goza de um merecido período de descanso após quase dois anos a interpretar Luena em A Única Mulher, Rita tem mais tempo para se dedicar ao desporto. “Agora tenho treinado de segunda a sexta. E a verdade é que fazer actividade física me faz muito bem à cabeça, sinto que fico com muito mais energia”, diz.

A actriz não segue nenhum plano de treino fixo e revela que o segredo para nunca deixar de treinar é ir variando os exercícios e as modalidades. “Todos os dias faço algo diferente: tanto vou ao ginásio fazer condicionamento, como vou para a rua praticar crossfit, como frequento aulas de dança ou de muay thai”, afirma. Como a maioria das pessoas, há vezes em que não lhe apetece treinar, mas raramente se deixa vencer pela preguiça. A actriz dá alguns conselhos para quem está mais desmotivado: “Se estão agora a começar, vão devagar. No ginásio prefiram as aulas de grupo e não se metam nas máquinas a treinar sem parar. Se já fazem desporto e praticam a mesma actividade há muito tempo, experimentem uma coisa diferente”.

“Adoro comer”

Rita Pereira alia a prática de exercício físico a uma alimentação saudável e equilibrada. “Adoro comer e, por norma, como tudo o que me apetece. O que faço é: se num dia como mais, no dia seguinte tento compensar. Tento também fazer refeições mais pesadas ao almoço”, diz, confessando o seu grande pecado alimentar: “Não resisto a pão com queijo”.

A actriz da TVI tem o desejo de ser mãe e não está preocupada com os eventuais quilos a mais que possa vir a ganhar na gravidez. “De certeza que vou ser daquelas pessoas que engorda 30 quilos se não vou dar importância nenhuma a isso. E o meu filho, se for como eu, também vai adorar comer!”, brinca.