Actualização da Galeria: Imprensa, Aparições Televisivas e Candids

A galeria do site foi actualizada hoje, contando agora com quase 4500 fotos! Foram actualizados os álbuns Imprensa e Aparições Televisivas. Confiram os álbuns clicando nos títulos em baixo:

Aparições Televisivas

2014

» Você na TV – Entrevista a Rita Pereira no Nos Air Race (1 de Julho)

» Promo Nos Air Race com Rita Pereira

» Emissão em directo do Nos Air Race (6 de Julho)

» Juntos no Verão (5 de Julho)

 

Candids

2014

» A praticar exercício físico ao ar livre com o pai

 

Imprensa

2013

» Lux nº 700

» LuxWoman nº 151

 

2014

» Activa nº 283

» Caras nº 967

» FLASH! nº 566

» FLASH! nº 574

» Nova Gente nº 1963

» Telenovelas nº 853

» tvmais nº 1117

» TV Guia nº 1844

» TV Guia nº 1846

“Cozinhar é um momento de relax, um momento de partilha.”

Food Battle

Nesta rúbrica, o Chef Igor Martinho põe à prova as capacidades culinárias do seu convidado, num frente a frente que promete ser hilariante!

A actriz Rita Pereira é a primeira a partilhar a cozinha com o Chef. Estará à altura do desafio? A “batalha” pode começar!

Representar ou cozinhar. Em qual das duas acções o improviso é mais importante?

Eu acho que improviso bastante na representação, mas improviso muito mais na cozinha, porque não me guio muito por receitar pré-concebidas, tento sempre criar um bocado. 90% do meu cozinhar é improviso.

As tuas refeições variam consoante o horário de trabalho?

Sim, sem dúvida alguma. Quando estou a gravar tenho 25 minutos de almoço e estou restringida ao que há no refeitório. Quando não estou a trabalhar posso optar por comida mais saudável elaborado à minha maneira ou ir ao restaurante que me apetecer.

Que cuidados tens com a alimentação? Qual o segredo da boa forma física?

Não há segredo nenhum de boa forma física. O segredo é treinares e não comeres muito daquilo que te apetece comer. Mas eu adoro comer e jamais serei infeliz na minha gula, jamais deixarei de comer porque tenho de emagrecer por isto ou por aquilo. Se sei que vou ter um trabalho em que o meu corpo vai estar mais exposto tenho uma alimentação de uma ou duas semanas mais saudável, mas não deixo de comer pão ao pequeno almoço. Não sou feliz se passar um dia sem comer um pedaço de pão. Tenho uma alimentação saudável mas regular, não é uma coisa muito restrita. Faço 50% daquilo que a minha nutricionista me diz para fazer.

O que é para ti cozinhar?

É um momento de relax, um momento de partilha. Gosto de ir conversando com os meus amigos, familiares e convidados que estejam lá em casa. Se tiver sozinha, é um momento de reflexão, em que não estou a pensar em textos ou naquilo que tenho de fazer a seguir.

Jantar com os amigos. Em casa ou no restaurante?

É uma pergunta difícil de responder. Por um lado, se for em minha casa tenho a oportunidade de cozinhar para os meus amigos e adoro ver a reacção deles, saber se eles gostaram ou não. Gosto bastante disso! Por outro lado, estar num restaurante leva-me a provar coisas diferentes, novos paladares que não experimentaria comigo a cozinhar.

Consideras-te uma boa anfitriã? Qual o segredo?

O facto de ter juntado a cozinha à sala é um factor de ligação para receber as pessoas enquanto cozinho. Obviamente, tenho sempre alguma coisa já preparada antes que as pessoas cheguem, mas prefiro que venham um pouco mais cedo, para irmos conversando, ir fazendo as coisas para que não digam que as comprei já feitas (risos). O segredo é o gostar de receber, acima de tudo.

Para quem gostas de cozinhar?

Gosto de cozinhar para pessoas que saibam cozinhar. Cozinho muito mais quando tenho alguém com quem partilhar.

Gastronomia do mundo?

Viajo muito e sou viciada em gastronomia, é um dos motivos pelos quais gosto de viajar. Adoro comida indiana, angolana, tailandesa, é difícil escolher… Eu gosto de comer!

Lasanha de courgette e mozarela fresca light

Ingredientes

  • 3 tomates
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1/2 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 2 courgettes
  • 400 gr de mozarela fresca
  • 2 iogurtes light

 

Começa por picar a cebola e os alhos, deita num tacho com o azeite e deixa refogar. Em seguida coloca o tomate cortado em cubos e refoga novamente. Corta a courgette e corta-a de alto a baixo). Num grelhador bem quente, grelha as fatias de courgette. Para montar a lasanha faz camadas (2 ou 3 vezes) pela seguinte ordem: refugado, courgette, iogurte light, queijo mozarela e certifica-te que o queijo é o ingrediente que fica no topo. Leva ao forno 15 minutos a 180º C para gratinar.

PRATO FAVORITO:
Cachupa

SOBREMESA FAVORITA:
Crepe com banana, canela e mel

QUE PRATO SERVIRIA AO PRIMEIRO MINISTRO
Arroz de pato, é melhor não dizer porquê. Mas penso que ele ia gostar.

Jantar Perfeito

“Em minha casa. Um jantar em que os meus amigos chegam por volta das 7 da noite, em que sirvo umas entradas, enquanto eles bebem um bom vinho e a música já está num chill out agradável, com um pôr do sol (porque moro em frente à praia) e um bom convívio. Depois, servir o jantar e ficar por casa até à meia noite ou uma da manhã a conversar, a comer e a ouvi-los dizer que a comida está maravilhosa (risos).”

Entrevista à Divo Magazine

“Sempre tive uma ligação muito forte a África – sinto-me muito em casa sempre que lá vou. Muita gente me pergunta se sou angolana, se os meus pais são angolanos, se tenho sangue angolano. Eu acho que sim, mas ainda não descobri!” A afirmação é da actriz portuguesa Rita Pereira, protagonista do videoclip de É Melhor Não Duvidar, o single de lançamento do álbum de estreia da dupla B4.

Não é (de todo!) uma cara desconhecida do público. Depois do sucesso da sua personagem Soraia, na série juvenil Morangos com Açúcar, o talento de Rita Pereira nunca mais deu tréguas – e já lá vão dez anos. É o rosto de inúmeras campanhas publicitárias e tem-se sagrado na representação, tendo visto a telenovela Meu Amor (onde era Mel, a protagonista) vencer um Emmy.

Embora a sua vida profissional não se cruze muitas vezes com Angola, Rita sentiu mais uma vez o carinho do público angolano – um público que já era seu fã e que faz questão de a receber da melhor forma possível, cada vez que a actriz visita o país – depois de aceitar ser a protagonista do videoclip de É Melhor Não Duvidar. Este é o single de lançamento do álbum Los Compadres, a estreia da dupla B4, formada por C4 Pedro e Big Nelo.

O convite surgiu da forma mais natural possível. Amigos em comum, entre a actriz e os artistas, fizeram a ponte para esta colaboração, um prazer para Rita Pereira, que já tinha ouvido o hit em África, com a certeza que também seria um sucesso em terras lusas.

Mas esta é apenas uma das (muitas) facetas de Rita Pereira. Além da moda e da representação, o seu talento passa também pela dança, a grande paixão da sua vida. Com apenas três anos começou a dançar, já tendo experimentado diferentes estilos – desde o ballet ao contemporâneo, passando pelo ragga e pelas danças africanas.

Um sonho? Ser uma das bailarinas de Beyoncé. “Se ela me convidasse… acho que largava tudo e ia dançar!”

O seu talento nesta área foi conhecido pelo grande público no programa Dança com as Estrelas, da TVI, onde sentiu o carinho dos portugueses até ser forçada a abandonar, após uma lesão.

Um sonho? Ser uma das bailarinas de Queen Bey: “Se eu pudesse ser, num concerto, uma das bailarinas da Beyoncé, ficaria muito feliz! Se ela me convidasse para ser uma das bailarinas dela… bem, eu acho que largava tudo e ia dançar!”

Por enquanto, a actriz está de férias, pelo menos até ao final do Verão, altura em que começará a gravar uma nova novela em Portugal. Já a modelo não pára: em breve prepara-se para lançar um catálogo a nível internacional para a marca Oriflame, a par das restantes campanhas que representa. E por Angola, quem sabe? Talvez volte, mais cedo do que se espera…

O lado bom da fama

O ballet e o basquete foram as suas primeiras paixões, mas foi como actriz que conquistou o grande público. A experiência ensinou-a a driblar bem os inconvenientes da fama, e se no amor joga à defesa, na carreira não para de marcar pontos. Desconto de tempo para Rita Pereira.

Chega à esplanada do Bairro Alto Hotel impecavelmente a horas e ri-se quando lhe pergunto se alguma vez tem de esperar por mesa. Não, não tem. “É uma das coisas boas de se ser famoso: tenho sempre mesa nos restaurantes. E não fico à porta das discotecas.”

Pronto, esse é um mito que é verdade. Um mito que é mentira: “Não somos nada bem tratadas pelos polícias. Pelo contrário: fazem questão de nos multar o mais que podem, para mostrar que não somos especiais…” (risos)

De qualquer maneira, Rita é conhecida por ser das actrizes mais queridas do público. Ela faz questão de manter o ‘status’: “Já aprendi a lidar com isso. Faz-me confusão os actores que desprezam o seu público. Sei que se for a uma praia não vou ter um momento de sossego. Mas já vou preparada para isso. E não deixo de ir à praia por causa dos fãs.”

Mas é verdade que a falta de uma vida privada normal acaba por afectar… a vida privada, a amorosa especialmente. “Afecta não apenas a atitude dos homens em relação a mim como também a minha postura em relação a eles.” Pode explicar? “Tenho muita dificuldade em confiar, porque muita gente se aproxima de mim por interesse. Portanto, obrigado a pessoa a passar por vários ‘testes’.”

A propósito de namorados, diz que está cada vez mais exigente. “Num homem exijo inteligência, associada a sentido de humor. Gosto de dizer uma piada e não ter de explicar. Se ele gostar das mesmas coisas que eu – basquete, viajar, família – melhor. Mas é só um ‘se puder ser’…” (risos)

O Dom da Felicidade

A fama não lhe roubou a expansividade: sempre foi comunicativa, e embora esteja mais protegida, continua a adorar estar com pessoas. Quando se sente mais em baixo, a sua forma de recarregar energias é devolver o carinho que recebe: “Vou ao Hospital da Estefânia e durante duas horas entro nos quartos dos miúdos, converso uns minutos com cada um, roubo-lhes uns sorrisos, ouço coisas como ‘o meu filho está aqui há seis meses e disse-me que hoje foi um dos dias mais felizes da vida dele’ e isso recorda-me das coisas boas de se ser conhecido: poder fazer os outros felizes.”

Senhora Embaixadora

“Tornei-me embaixadora da marca Oriflame de uma maneira muito engraçada. Tinha um fã que desenhava extraordinariamente bem, e sempre que havia sessões de autógrafos ele oferecia-me uns desenhos. Comecei a falar com ele, vi que era um miúdo normal e permite que entrasse no meu Facebook pessoal. Ele trabalhava na Oriflame e um dia fui contactada por um colega de trabalho que lhe estava a preparar uma festa surpresa. Claro que fui, ele não estava à espera e desatou a chorar. Passados uns dias, convidaram-me para ser embaixadora. Portanto, para mim, a Oriflame não é só mais uma marca, tenho com eles uma relação mesmo pessoal.”

Selfie

“Cresci em Carcavelos, os meus pais são professores. Vivi no Canadá dos 3 aos 6 anos. Lembro-me de usar um daqueles fatos da neve fechados até acima. O meu pai foi levar-me ao autocarro da escola e eu queria dizer adeus mas não conseguia porque ficava com metade da cara afogada no capuz (risos).

Gostei de lá viver, para mim era uma aventura, não era como para os meus pais, uma tentativa de ter uma vida melhor, que não vingou.

Não escolhi ser actriz. Queria ser bailarina e também jogava basquete. O meu pai foi jogador e treinador. Aos 14 e 15 anos, quando todas as minhas amigas iam sair à noite eu não ia porque no dia seguinte, às 9 da manhã, o meu pai ia jogar com os amigos e eu ia também, na esperança que algum faltasse e eu pudesse entrar. Agora faço muita coisa para manter a forma, porque não lido bem com a rotina. Treino todos os dias. Faço cross fit, aulas de dança e aulas de ginásio.

Tirei o curso de comunicação e publicidade e trabalhei muito como promotora, estava à porta das lojas a dar folhetos. Depois passei a manequim. Aos 20 anos, a L’Agence mandou-me ao casting dos Morangos. Ser actriz não fazia parte dos meus planos. Se estivesse em frente ao espelho era a ver quanto tempo conseguia fazer rolar¨uma bola num dedo.

Não gosto de fazer de ‘boazinha’, mas tento dar alguma profundidade às personagens. Ainda não me considero actriz. Não fiz conservatório porque não tinha dinheiro, mas entretanto estudei no Lee Strasberg, no Rio de Janeiro, em Madrid, e aprendi muito mais do que os meninos do Conservatório que me olhavam de alto quando comecei. Mas continuo a sentir que me põem à prova constantemente. O sucesso extra-actriz faz confusão a muita gente.”

Gostos & Desgostos

“Gosto de ir às compras com amigas que pedem ajuda para escolher roupa. Às vezes também vou a casa delas para as ajudar a fazer conjuntos. Consigo perfeitamente imaginar o que ficaria bem àquela pessoa.”

“Na moda, não gosto de colãs cor de pele (como nunca havia na minha cor ficavam-me sempre mal e deixei de usar) e sutiãs com alças de silicone. Também não adoro folhos e flores aplicadas, daquelas em relevo.”